sexta-feira, 26 de junho de 2009

Giz, quadro, apagador..


Oh,pequeno pau de giz, branco como a neve, que no quadro negro como o ébano escreves letras, formas palavras, constróis frases, neste curto ou longo texto a que se dá o nome de vida.
Suavemente, escreves as mágicas linhas de alegria. Ah, bons momentos que vivi e que aqui estão expressos neste mero quadro negro.
Também as linhas de tristeza escreves, talvez de forma diferente, tão diferente que por vezes fazes soar um ruído ensurcedor, tal é a força que exerces contra o quadro. Ah, pudesse eu rasurar essas linhas ou eliminá-las com o pequeno apagador que junto ao quadro negro se encontra.
Neste quadro negro reina a simplicidade. O giz tudo nele pode escrever, e facilmente o apagdor tudo pode fazer desaparecer.
Oxalá a vida assim fosse, tão simples! Mas nela tudo se vive e nada se apaga. Mas se assim não fosse, quantos de nós nõ usariam o pequeno apagador? Deste modo, a vida perderia todo o seu sentido pois sempre que errássemos, apagaríamos esses erros em vez de aprender e crescer com eles.
Ah, quadro negro! Em ti tudo posso escrever sobre a minha vida e apagar tudo o que até então escrevi sempre que quiser. Mas estaria infeliz se só isso fizesse pois a vida foi feita para ser desfrutada e não para ser escrita num mero quadro negro com um pequeno pau de giz.



Fonte:http://oquadronegro.blogs.sapo.pt/

Um comentário:

Lúbia Lafaete disse...

Que bacana seu trabalho, é MARAVILHOSO, PARABÉNS!!!!! Continue dedicando o dom que Deus lhe deu, expondo seus trabalhos sempre! Eu amei..... um grande abraço...
Profª Lúbia